Browse By

ADVERTÊNCIA, NO MOMENTO, É SOLUÇÃO PARA O TRÂNSITO?

Advertência, no momento, é solução para o trânsito?

                             

               Dr. Dirceu Rodrigues Alves Júnior*

Hoje o trânsito é anárquico, ninguém respeita ninguém. As regras desrespeitadas, sinalizações não obedecidas tudo avesso às necessidades da sociedade. O poder público pouco faz. Investimentos em prevenção quase sempre pontuais. Educação de trânsito, artigo constante no Código de Trânsito Brasileiro, desde 1997 não é cumprido. É o caos que vivemos em decorrência de falta de força política para ações drásticas.

E surge o CONTRAN, na contramão do objetivo maior para erradicação da doença no trânsito que assola o nosso país, convertendo  em uma simples advertência as infrações leves e médias.

Relaxar na fiscalização e na punição é igual a aumentar a anarquia que já vivemos. A "Década de Segurança Viária", proposta pela ONU, já tem um ano de vida e nossos óbitos e sequelados vem aumentando de maneira contrária a proposta que é diminuir em 50% a mortalidade no trânsito. 

Não há dúvida, os DETRANs são estaduais e a intercomunicação precária. Não temos um cadastro único.

Punição severa é o que precisamos de imediato, com intuito de moralizar, fazer respeitar. Não concordamos com o que dizem que os DETRANs arrecadam constituindo a "Indústria da Multa". Se for multado é porque estava transgredindo e transgredir no trânsito é grave, gravíssimo.

Temos que respeitar as regras e a vida.

Dr. Dirceu Rodrigues Alves Júnior – Diretor de Comunicação e do Departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego)

10430502_287607824745262_6002006874556881993_n14Sistema Raiz da Vida Além da Inteligência NutricionalElizabethe Milwaard –  Profª de Consciência Nutricional e Mentóloga; Criadora do SRVDr. Edvaldo Tavares – Médico, CRM-DF  7265 e CRM-SE 4897; Jornalista, DRT 2175; Diretor Executivo e Diretor Técnico do SRV    

One thought on “ADVERTÊNCIA, NO MOMENTO, É SOLUÇÃO PARA O TRÂNSITO?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *